Reportagem do 1º dia do NOS Alive 2014 | Watch and Listen!

Reportagem do 1º dia do NOS Alive 2014

https://www.flickr.com/photos/58384950@N08/14478639008/


No passado dia 10 de julho, começou mais uma edição do Optimus Alive.

Neste dia passaram pelo recinto vários artistas e várias pessoas porque o dia se encontrava esgotado devido aos grandes cabeças de cartaz, Arctic Monkeys. Foi um dia com muito calor e com muitas emoções.

O Watch & Listen esteve lá para contar o que se passou no Palco NOS.


Ben Howard

A honra de abrir o Palco NOS no primeiro dia do NOS Alive coube ao inglês Ben Howard, e começou tão bem.
Ben Howard apresentou algumas músicas do seu primeiro álbum "Every Kingdom", mas também teve tempo para apresentar músicas novas do álbum que está para vir. O cantor britânico aqueceu os corações com a sua música indie folk e as suas letras sobre amores e desgostos. Sempre tímido com a sua guitarra, os seus óculos de sol e a olhar para baixo, Ben também soube interagir com o público agradecendo por as pessoas o terem ido ver, teve tempo para contar algumas piadas, e ainda reparou que estava a aparecer nos ecrãs gigantes no palco. O público não sabia muitas das suas letras, mas não deixava de aplaudir no fim de cada música.

Momento alto do concerto: O tema "Only Love" é provavelmente um dos mais conhecidos de Ben, e foi esse mesmo tema que levou as pessoas mais ao rubro.

                                                       


The Lumineers

Esta foi a única estreia do dia no Palco NOS, visto que foi a primeira vez que os The Lumineers se estrearam cá e pode-se dizer que foram bastante bem recebidos.
Continuamos na área do folk, se bem que com um pingo de country que a voz do vocalista Wesley Schultz transpira.
A banda do Colorado levou-nos a um espectáculo muito acolhedor que quase que nos fez sentir na sua própria casa e que grande casa eles têm. As suas músicas podem não dizer muito a algumas pessoas, mas vê-se que dizem muito à banda e é sempre importante atuar-se com o coração, e é isso que os The Lumineers fazem.
Apesar de terem apenas um álbum, são poucas as pessoas que sabem as suas letras e é óbvio que a música "Ho Hey" foi a mais aplaudida e cantada pelo público, tendo o vocalista Wesley ter dito às pessoas para guardarem os seus telemóveis porque foi mesmo um momento especial. Houve direito a uma cover do tema "Ain't Nobody's Problem" de Sawmill Joe com um Wesley a pedir ao público para cantar consigo e foi um público muito obediente.

Momento alto do concerto: A música "Ho Hey" foi um ótimo momento, mas o melhor foi quando o vocalista Wesley Schultz e o pianista Stelth Ulvang  desceram para o público. Wesley foi com duas cadeiras e a sua guitarra atuar no meio do público na música "Elouise" e o pianista Stelth atuou com o seu acordeão na torre de som.

                                                         


Imagine Dragons

Chega uma banda também aguardada por muitas pessoas tendo em conta o seu sucesso em Portugal (mais por culpa da Vodafone usar a sua música "On The Top Of The World" em todos os seus anúncios) que deu um concerto em grande, num palco grande para muitas pessoas.
Os Imagine Dragons são talvez uma das bandas mais comerciais que passou pelo Palco NOS neste dia, e se calhar isso levou algumas pessoas a ficarem um pouco reticentes com a banda, mas os Imagine Dragons quase que deitaram o palco abaixo.
A banda tocou apenas 11 músicas o que parece pouco (e foi), mas foi um concerto muito cansativo no bom sentido porque era impossível não se saltar e gritar durante aquele momento. Claro que a banda tocou os seus maiores sucessos como "It's Time", "Demons", uma das mais aplaudidas e conhecida na ponta da língua pela público a "On The Top Of The World" e a estrondosa "Radioactive" com uma versão um pouco diferente da do álbum.
O vocalista Dan Reynolds mostrou-se sempre sorridente e feliz por estar a atuar novamente em Portugal e agradeceu a Portugal por ter ajudado a banda a tornar-se num grande sucesso por cá. Dan nunca deixou de puxar pelo público o máximo que conseguia tanto que desceu para o público.

Momento alto do concerto: Apesar de os singles terem corrido muito bem e terem dado ótimos resultados, o ponto alto foi quando a banda decidiu fazer uma cover da música "Song 2" dos Blur que são uma das suas inspirações, e foi um momento pelo qual ninguém estava à espera e claramente que toda as pessoas conheciam esta música.

                                              


Interpol

 A penúltima banda da noite no Palco NOS chega finalmente, mas não agarra novos fãs.
Os Interpol são uma ótima banda, têm boas músicas e tocam muito bem ao vivo, mas o seu concerto foi muito calmo e cativou poucas pessoas.
A banda tocou alguns dos seus temas mais conhecidos e também apresentou músicas novas do seu próximo álbum.
Foi um bom concerto para os fãs da banda, mas não tão bom para quem não os conhecia. Já para não dizer que a banda pouco interagia com as pessoas.

Momento alto do concerto: O público acordo um pouco mais na música "Evil", tendo-se ouvido algumas pessoas na multidão a cantarem.



Arctic Monkeys

Finalmente chega a grande banda da noite e por que todos esperavam (foram eles que esgotaram este dia do NOS Alive, levando cerca de 55mil pessoas ao recinto só para os verem). Esta não foi a primeira vez dos Arctic Monkeys em Portugal, mas foi a primeira que tantas pessoas os foram ver.
A banda entra em palco e vê-se que chegaram para dominar aquilo tudo. Desde os movimentos de anca de Alex Turner, aos acordes da guitarra de Jamie Cook, à bateria de Matt Helders e ao baixo de Nick O'Malley, os Arctic Monkeys têm tudo no ponto para serem a grande banda que são.
A setlist passou pelo mais recente álbum da banda, "AM", que lhes trouxe mais sucesso do que os álbuns anteriores e esta setlist foi feita mais para os novos fãs da banda visto que tocaram o novo álbum quase todo, mas também agradou aos fãs mais antigos tocando temas como "Dancing Shoes" (o clássico), "I Bet You Look Good On The Dancefloor" (com Alex a dedicar às fãs, como é habitual), "Brianstorm", "My Propeller" e "505". Durante o concerto notou-se realmente que havia mesmo muitos novos fãs porque as pessoas gritavam e cantavam mais nas novas músicas do que nas antigas o que até não deixa de ser mau porque os Arctic Monkeys realmente merecem o reconhecimento que estão a ter.
Os Arctic Monkeys já não são nenhuns rapazes e isso nota-se realmente em concerto porque são uma banda cada vez mais segura no que faz (e faz bem) e com um Alex Turner cada vez mais confiante e comunicativo com o público. Eles são mesmo muito bons ao vivo e parece que as músicas até resultam melhor em concerto do que em álbum (talvez se deva à emoção do concerto?). Fizeram jus ao que lhes era pedido e deram um ótimo concerto sendo complicado uma pessoa ficar sem abanar a anca tal Alex Turner.
Neste concerto viu-se uma banda bastante boa no que faz.

Momento alto do concerto: A melhor parte do concerto chegou mesmo no fim quando a banda parou de tocar a música "R U Mine?" por alguns segundos e o público continou a cantar a música na mesma tendo originado um sing along fantástico.

                                            


E assim foi o primeiro dia do NOS Alive. Segundo e terceiro dia para breve.

0 comments:

Enviar um comentário