Comic Con Portugal'14: os melhores e os piores momentos | Watch and Listen!

Comic Con Portugal'14: os melhores e os piores momentos

Nos passados dias 5,6 e 7 de Dezembro a cultura pop instalou-se no Norte do País. 

A primeira edição da Comic Con Portugal realizou-se na Exponor e nós estivemos lá. De actores, a cosplayers e a walkers a Comic Con não lotou, mas teve muita afluência. Foi um bom evento no seu geral, embora tenha tido os seus altos e baixos. Deixamos aqui o nosso top de melhores e piores momentos deste mágico fim-de-semana, que foi recheado de emoções.


Da Vinci's Demons


Um painel que teve muito afluência e um lugar muito especial no coração de uma nós. Tom Riley, Blake Ritson e Elliot Cowan são o trio mais adorável e engraçado que passou pela Comic Con Portugal, sem dúvida. Desde selfies a imensas piadas, os três atores foram extremamente dados à simpatia e souberam sempre responder às questões dos fãs da maneira mais divertida! O painel originou conversas desde as cenas favoritas que já filmaram a questões do que podemos esperar na próxima temporada. Contou também com uma emissão online para que, quem não estivesse presente, pudesse assistir. Houve ainda tempo para nos darem a conhecer o trailer da terceira temporada, que está fantástico. Mal podemos esperar até Março! Tirando o histerismo, houve tempo para confissões fofas por parte dos fãs ao trio, como até para lágrimas. No fim o trio passou pelo Hall Of Fame, mas somente para que os fãs os pudessem fotografar... Uma pena! Talvez para a próxima tenhamos mais deste trio, e quem sabe, tragam mais membros do elenco. 

Natalie Dormer


A Natalie Dormer, como é certo e sabido, era o grande nome desta edição da Comic Con Portugal. E não era de esperar por menos. Com aparições que vão de The Hunger Games a Game Of Thrones, foi sem dúvida a grande causadora da enchente deste dia que, quase deu sinais de parecer esgotado. The Hunger Games e Game Of Thrones são dois fenómenos merecedores de elogios que não acabam. Com legiões de fãs que percorrem o mundo inteiro, são sem dúvida dois nomes que serão recordados durante muitos bons anos. Falando do painel lotado que mais gerou choro e histeria na Comic Con Portugal, a Natalie Dormer é um amor. Respondeu sempre pacientemente e de forma dócil às questões dos fãs e disse uma frase que nunca nos iremos esquecer aquando questionada sobre qual a personagem que gostaria de ser em Game of Thrones (sem ser a dela, óbvio) que foi: "I want to be a fucking dragon". Falou-se de The Hunger Games e Game Of Thrones, claro e Natalie ainda deu um breve discurso sobre feminismo. Aparte disso houve conversas acerca do muito adorado por nós, e pelo elenco, Jack Gleeson (que tão bem interpretou o maldoso Joffrey Baratheon). Ainda se falou de Heath Ledger, devido a Natalie ter tido a oportunidade de trabalhar com ele, e este último soltou lágrimas na audiência. Um dos momentos mais altos do painel, para além das conversas, foi precisamente quando a actriz deu entrada e uma grande parte dos fãs levantou-se e fez a saudação icónica da saga The Hunger Games. Após isto a atriz ainda deu uma boa quantidade de autógrafos a alguns fãs sortudos, no Hall Of Fame. Antes disto teve ainda com alguns fãs sortudos, nos Meet&Greets.


Paul Blackthorne

Pode-se dizer que Paul Blackthorne é um guerreiro. Esteve presente nos três dias, onde esteve em Meet&Greets e incansáveis sessões de autógrafos, que chegaram a durar mais de cinco horas! O ator que participa em Arrow é realmente um doce de pessoa. Não é qualquer um que faria o que ele fez, e ultrapassar o tempo normal de autógrafos no Hall Of Fame, onde até chegou a tirar selfies com os fãs no primeiro dia! O painel foi sem dúvida mais uma demonstração do carinho que este nutre pelos fãs. Respondeu durante a uma hora a perguntas dos fãs acerca de Arrow e afins. Se já éramos fãs, podemos dizer que ficámos ainda mais. O Paul adorou Portugal, e sem dúvida que Portugal o adora. É amor recíproco.

Morena Baccarin

A atriz brasileira foi sem dúvida, a surpresa do evento. Saímos da Comic Con Portugal fãs da senhora simpática! Claro que já tínhamos conhecimento do seu trabalho antes, mas depois de a ver ao vivo, podemos garantir mesmo que conhecemos melhor agora. A atriz, falou durante o seu painel em português, a sua língua materna. Foi um gesto muito bonito da parte dela, dado que já não domina a língua tão bem como desejaria. Para além do painel, a actriz esteve ainda no Hall Of Fame, no dia 5 e 6 a dar autógrafos. Charmosa e simpática, é assim que descrevemos a Morena.

Clive Stanten, Seth Gillam e Joe Reitman

Por motivos alheios a nós, não vimos muito dos paineís destes senhores mas confiamos que tenham sido fantásticos. Os três transpiram simpatia e apostamos que todos satisfizeram os fãs que se deslocaram até à Exponor só para os ver! Seth Gillam e Clive Stanten deram ainda sessões de autógrafos, enquanto que Joe Reitman esteve literalmente a passear pelo recinto e a tirar selfies com os fãs, durante os três dias.

Bancas e Exposições

Uma coisa que nos fascinou, e aposto que a toda a gente, foram as bancas e exposições presente na Comic Con Portugal. Todas as bancas tinham sem dúvida o seu encanto, e queremos mais destas na próxima edição!

Walkers e exposições da Fox Portugal


Walkers a andar pela Exponor... Foi sem dúvida um dos pontos mais positivos desta edição. Os figurantes, rigorosamente maquilhados e treinados espalharam muitos sustos e risos durante os três dias, a quem os alugava e às vítimas que estes escolhiam "atacar"!  Claro, que as exposições de Da Vinci's Demons e Gotham ficaram a par desta, embora os walkers tenham tido o seu próprio "encanto".



Uma coisa que pecou nesta primeira edição foram alguns aspetos por parte da organização, coisas a melhorar sem dúvida. Claro que foi a primeira edição e as primeiras vezes merecem sempre ter a sua margem para erros. Confiamos que, com o tempo, os pontos referidos abaixo vão melhorar drasticamente e para o ano lá estaremos de novo, sem dúvida! Ficam abaixo os pontos que considerámos os piores desta Comic Con Portugal. 



Filas do Hall Of Fame


No primeiro dia, foram fantásticas. Já no segundo foram filas horríveis que promoveram o desconforto dos visitantes. Sem dúvida que o foram. Aliás, podemos até dizer que não havia fila nenhuma, mas sim pessoas "ao molho". Os voluntários só pioraram a situação quando mandaram recuar as pessoas, o que provocou ainda mais desconforto. Pior que um concerto ou que os transportes em dias de greve, o público parecia literalmente puras "sardinhas enlatadas". Sem dúvida que precisam de melhorar isto na próxima edição.

Zona de restauração


Uma coisa que se notava bem na hora em que a fome apertava e dava vontade de se deslocar até à zona de restauração era... a falta de mesas. Com um espaço tão amplo ao lado e praticamente vazio podia-se ter colocado mais mesas nesta zona. A quantidade de mesas não correspondia à quantidade de pessoas e das enormes filas. Muitos espectadores viram-se forçados a comer de pé ou a esperar que alguma das poucas mesas ficasse desocupada, arriscando-se assim, a comer o que tinham comprado quente, frio. 

Voluntários

Em todos os grandes eventos, são sempre necessários voluntários para ajudar a manter a ordem e afins, nos dias dos eventos. No entanto, espera-se que estes façam jus ao profissionalismo da empresa que os recrutou. Os da Comic Con não o fizeram, lamentavelmente. Desde faltas de respeito para com o público a falta de rigor nas filas organizadas no Hall Of Fame, os voluntários foram o ponto que deixou mais a desejar nesta edição. É uma falta de educação por parte dos voluntários verem o público que não conseguiu entrar para ver o painel de determinado actor, da parte de fora do auditório e gozarem com isso. Público que estava minimamente despedaçado por esse facto, pois vieram de longe só para ver a pessoa em questão. Isto para além de dar mau aspeto ao voluntário, pode passar uma má imagem da organização. No entanto, sabemos bem distinguir que a organização nada tem a ver com o carácter pouco profissional dos voluntários. Os voluntários deveriam ter o mínimo de vergonha na cara, pois a organização deu-lhes aquela oportunidade pois confiaram que estes seriam capazes de exercer a sua função. Muitos não foram mais que miúdos mimados, que gozavam com a infelicidade de algumas pessoas que não conseguiam determinadas coisas. É urgente melhorar este aspeto, para que estas acções infelizes não voltem a acontecer na próxima edição.

Publicidade entre os painéis


Um dos aspetos a melhorar é a publicidade entre os painéis. Porque não publicitar os atores presentes no evento, ao invés de publicitar os que não foram? Seria melhor no sentido em que se evitariam comentários do género: "Mas este não vem cá, não deviam passar coisas que não vêm cá!". Fica a sugestão.

Transportes


Para quem se deslocava de transportes até à Exponor, era desconfortável que estes só existissem de hora a hora. Muitas pessoas eram forçadas a sair mais cedo do evento, para apanhar o transporte, que chegava sempre atrasado. São sem dúvida motivos alheios à organização, mas pensamos que seria sensato fazer um acordo com a empresa de autocarros para dar um maior conforto a quem só tem a possibilidade de se deslocar de transportes. Confiamos que na próxima edição este aspeto irá melhorar. 

Texto: Alexzandra Souza
Fotos: Iris Cabaça 


1 comentário: