Entrevista aos Modernos | Watch and Listen!

Entrevista aos Modernos

À conversa com os Modernos.

Os Modernos são formados por três membros dos Capitão Fausto: Tomás Wallenstein, Salvador Seabra e Manuel Palha. Quanto às músicas, são muito diferentes das dos Capitão Fausto.

Depois do seu concerto no Vodafone Mexefest, falámos com os Modernos sobre os Guns'n'Roses, do concerto do Mexefest e do que podemos esperar do futuro dos Modernos. Leiam a entrevista aqui em baixo.




Os Modernos parecem uma banda mais despreocupada do que os Capitão Fausto. Era essa a vossa intenção?
Tomás: Não propriamente, mas é um dos resultados. Foi assim que foi feito. Não era propriamente intencional, mas é de facto. 


Podem contar-nos um pouco sobre a história de cada música do vosso EP #1?
Salvador: Eu acho que elas têm todas mais ou menos a mesma história.
Tomás: Pois têm. Estávamos a ensaiar e às tantas um de nós lembrou-se de cada uma, de uma parte e depois tocámos e elas agora existem.



Qual foi o ponto alto dos Modernos até agora? 
Salvador: Foi quando tocámos em Inglaterra a abrir para os Guns’n’Roses.
Tomás: Duas vezes, em julho. Esse foi fixe.
Salvador: Mas este… acho que este concerto pronto.
Manuel: Este concerto hoje foi fixe. Foi o melhor dos Modernos. Foi assim o com mais gente…
Tomás: Por acaso na Nova também estava gente.
Manuel: Pois estava. E num sítio grande…
Tomás: E em Inglaterra também estava gente. Mas já ninguém vai ver os Guns’n’Roses.

Em Inglaterra conheciam as letras?
Salvador: Conheciam sim.
Manuel: Estranhamente cantavam em inglês.
Tomás: Eles cantavam-nas em inglês.
Manuel: Traduziam-nas, nomeadamente.



Estão a pensar em lançar mais músicas e talvez um álbum
Salvador: Sim, obviamente.

Conseguem descrever o vosso som em apenas uma palavra?
Salvador: Subtil.
Tomás: Subtil sim, e delicado.
Salvador: Não, eu diria grotesco.
Manuel: Errático.
Tomás: Eu diria delicado.  
Salvador: A sério, é difícil. Eu acho que é grotesco.
Tomas: Eu também.
Manuel: Ou gorduroso. Frito mas frito culinário, não é a implicação.
Salvador: Eu acho que estufado… é bom.
Tomás: Por causa da pressão.
Manuel: Frito por causa do estaladiço misturado com o gorduroso.
Tomás: Oleoso.



O que é que podemos esperar do futuro dos Modernos?
Tomás: Nada de especial. (risos)
Manuel: O mesmo mas com nomes diferentes nas músicas.
Salvador: Eu acho que podemos esperar coisas grandiosas mesmo porque vamos estar na boca aí do mundo inteiro dentro de muito pouco tempo.
Inglaterra foi só o primeiro passo.
Manuel: Sim, exatamente. 
Salvador:  Já temos convites, vários para irmos a outros países.
Tomás: E à lua também.
Manuel: Essa era boa.

E a Marte?
Tomás: A Marte não dá, não somos uma banda assim tão grande.
Manuel: À lua é uma coisa.




Também fizemos um jogo com os Modernos onde dissemos nomes e palavras e eles tinham de nos responder com o seguinte: cozido - mau; grelhado - mais ou menos; frito - bom. Vejam o vídeo:

0 comments:

Enviar um comentário