NOS Primavera Sound 2015: os nossos concertos favoritos | Watch and Listen!

NOS Primavera Sound 2015: os nossos concertos favoritos


O NOS Primavera Sound realizou no Parque da Cidade, no Porto, nos dias 4, 5 e 6 de junho. Nós fomos até lá pela primeira vez, e ao primeiro festival deste verão. Temos a dizer que este festival tem um bom público que não exagera e bate palmas no momento certo. Também é fácil mudar-se de palco porque ficam perto uns dos outros, e não há milhares de pessoas a impedirem a tua passagem. É um festival simpático e acolhedor, apenas achamos que podia ter mais bandas portuguesas porque há muitas e boas bandas portuguesas que podiam atuar lá.
Como nem sempre se consegue ver tudo, infelizmente, decidimos escolher os nossos concertos favoritos. Fiquem com eles.


Mac DeMarco

O Mac DeMarco já é bastante conhecido e adorado pelo público português. Isso comprovou-se quando andou pelo recinto à vontade e não se importou de tirar selfies com os fãs. Desta vez nenhum fã subiu ao palco, como no Paredes de Coura, no entanto, foi novamente um concerto divertido com as piadas de Mac e da sua banda. O canadiano também fez um crowdsurfing muito prolongado, e no final ainda mostrou o rabo para surpresa (ou não) do público. Não houve músicas novas, exceto o single "Let Her Go", nem "Yellow" dos Coldplay, mas ouviu-se as mais conhecidas como "Ode To Viceroy", "Salad Days" e "Chamber of Reflection". Mac DeMarco adora Portugal, e Portugal adora Mac DeMarco. É basicamente isso.




FKA Twigs

A estreia de FKA Twigs em Portugal era bastante esperada que não desiludiu. O concerto começou com "Preface", e entra Twigs com uma roupa simples, só com os seus três músicos e sem dançarinos. Tudo parecia que o concerto iria ser simples, mas os movimentos de dança de FKA Twigs não têm nada de simples. A artista tocou músicas como "Papi Pacify", "Two Weeks" e a mais recente "Glass & Patron". Tahliah Barnett não fala muito durante os concertos, mas quando falava era para agradecer ao público e para dizer que iria voltar cá. Por isso, esta não será a única vez de FKA Twigs em Portugal.


Interpol

Os Interpol tiveram cá o ano passado, e acabaram por desiludir tudo e todos. Neste ano o cenário foi diferente, provando que o ambiente de um festival conta. O Primavera é um dos melhores festivais do país, não só pelo cartaz como pelo fantástico ambiente. E isso provou-se pelos fantásticos concertos que este nos proporcionou sendo o dos Interpol um deles. Os Interpol que no ano passado no Nos Alive tornaram-se para nossa desilusão um aborrecimento, este ano deram um dos melhores concertos do Primavera Sound. Êxitos não faltaram, e o público contrariamente ao do NOS Alive conhecia a discografia da banda e ainda cantou algumas canções. As nossas expectativas foram superadas e restabelecidas, felizmente. Não há nada de errado com os Interpol, de facto.



Caribou

Concerto maioritariamente para dançar e descontrair, foi assim Caribou. Como se esperava e se pedia. "Our Love", "Can't Do Without You" e "Sun" deleitaram os presentes de alegria. O festival tornou-se portanto uma gigantesca pista de dança ao ar livre, onde tudo e todos dançavam e deixavam invadir-se pela energia que o músico transmite. Fantástico, como sempre.


Viet Cong

Os Viet Cong eram uma das bandas que mais queríamos ver e podemos garantir que não desiludiram, e ultrapassaram as expectativas que já eram altas. Com álbum lançado em Janeiro deste ano, a banda tocou maioritariamente temas de "Viet Cong", álbum homónimo. Notou-se claramente que a banda embora ainda não seja muito popular por cá, soube contagiar e apostamos que ganharam muitos fãs neste final de tarde. Consideramos que se tivessem tocado num horário mais tardio, tal como o próprio baterista da banda nos confessou, teriam tido ainda mais furor. Mas bem, não se pode ter de tudo, e mesmo assim os Viet Cong deram um fantástico e provocaram exaltação. A banda gostou de Portugal, e temos a certeza que o regresso está marcado para breve.



The Replacements

Os The Replacements tiveram a melhor música de introdução "Bird" de Peter Griffin (Family Guy). Este foi mesmo o último concerto da banda, tanto que, até lhes custou a terminá-lo e nem queriam sair do palco sequer. Eles tocaram os greatest hits e acabaram a despedida com um sorriso na cara.



Run The Jewels

Run The Jewels era outro dos concertos que mais queríamos ver durante os 3 dias do Nos Primavera Sound e podemos afirmar que foi talvez o mais enérgico deles todos. Os Run The Jewels respiram energia. Saltos, exaltação e muita loucura foi assim que se passou esta hora no palco ATP. Todos os presentes conheciam as letras e foi mesmo um dos concertos que teve mais aderência por parte do público que se deixou envolver a 100%.



Foxygen

Os Foxygen deram um dos concertos mais enérgicos do festival. O vocalista Sam France não parava quieto, andava sempre de um lado para o outro e até foi para o meio do público. A banda deu um espetáculo teatral com lutas fingidas e tudo. Só faltava ser uma tragédia. Ouviu-se músicas como "Coulda Been My Love" e "No Destruction". Afinal, os Foxygen não vão acabar apesar do que foi dito e pensado. O que vai acabar é a sua parceria com os Star Power. São coisas diferentes. Por isso, não chorem se pensavam que era verdade. Quem nos confirmou isto foi Kevin.



Damien Rice

Uma das estreias mais aguardadas do festival, e para nós uma surpresa que se revelou bastante agradável. Já conhecíamos o músico, mas não éramos grandes apreciadoras. Isso mudou, felizmente, e temos a certeza que não fomos as únicas que saíram do Nos Primavera Sound com esta opinião. Em palco só se via um Damien Rice com a sua guitarra, amplificadores e microfone. E mesmo sozinho, Damien deu conta do recado e de que forma. Sem dúvida um dos melhores concertos do festival. E também dos mais emotivos. "9 Crimes" e "The Blower's Daughter" foram os temas mais aclamados pelo público. Arrepiante, no seu melhor sentido.

https://www.flickr.com/photos/watchandlisten/18217294454/in/album-72157654972474525/


Death Cub For Cutie

Os Death Cab For Cutie já deviam uma vinda a terras lusas desde o cancelamento do concerto que deveriam ter dado no Primavera Sound de 2012. Como nunca é tarde demais para compensar, a banda voltou este ano ao festival e podemos dizer que valeu a espera. Trouxeram novo álbum na bagagem, "Kintsugi", lançado em Março deste ano. Não só temas do novo álbum ouvimos, como também houve espaço para os temas mais antigos, tão bem conhecidos pelos fãs. "Crooked Teeth", "Soul Meets Body", "The New Year" entre muitos outros, foram motivo de exaltação e o público mostrou saber as letras mais aclamadas. O concerto terminou com uma das canções, até à data, mais emotivas da banda, "Transatlanticism". Foi uma hora de pura magia e nós adorámos. Aguardamos por uma próxima.




Fotografias: Iris Cabaça
Texto: Alexzandra Souza e Iris Cabaça

0 comments:

Enviar um comentário