Sumol Summer Fest 2015: os nossos concertos favoritos | Watch and Listen!

Sumol Summer Fest 2015: os nossos concertos favoritos

O Sumol Summer Fest voltou uma vez mais à Ericeira para a sua sétima edição. Com um cartaz para vários gostos, passaram pelo Ericeira Surf Camping cerca de 24 mil pessoas. Para quem ainda não percebeu, o festival mudou um pouco o seu conceito. Antes era um festival só de reggae, e este ano teve igualmente reggae, mas também teve pop e hip-hop. Esta foi a decisão ideal a tomar. Se continuar por este caminho, quem sabe não teremos mais nomes da pop e do hip-hop internacional nos próximos anos.


Fiquem com o top dos nossos concertos favoritos desta edição:

Tove Lo

A sueca que fez sucesso no ano passado com o single "Habits (Stay High)" veio, inesperadamente, a Portugal pela primeira vez. Tove Lo fez-se acompanhar pela sua banda o que resulta bem ao vivo. Encantou corações, arrancou berros mas não mostrou os seios, como tem feito em alguns concertos. O concerto começou com a dançável "My Gun". Como era esperado, o público cantou mais nos singles "Talking Body" e "Timebomb". Contudo, em "Not On Drugs" e "Like Em Young" ouvia-se algumas pessoas do público a cantarem. A cantora, que ainda só tem um álbum, mostrou que sabe dar um concerto com muita energia e até atrair os não seguidores. E foi bom ver um concerto de uma artista comercial como a Tove Lo, o que muitas vezes não acontece no nosso país.

Slum Village

O hip-hop no dia 4 foi representado pelos Slum Village que voltaram a Portugal, num palco maior do que anteriormente. A banda de Detroit mostrou-nos um pouco da história do hip-hop norte-americano. Até conseguiram trazer essa história às gerações mais novas que, muito provavelmente, não conheciam nenhuma ou poucas músicas da banda. Ainda bem que tal aconteceu e que houve uma banda de hip-hop neste dia porque não é habitual haver concertos de hip-hop cá.


The Cat Empire

Uma das surpresas do festival, os The Cat Empire deram um dos melhores concertos desta edição. Desconhecidos por grande parte do público, podemos garantir que muitos dos presentes se converteram. Os australianos rápido espalharam e contagiaram com a sua música, que apresentou ser um misto de jazz e folk. Primeiro estranha-se, depois entranha-se. É de facto que assim decorreu, e nós agradecemos pelo belo serão.


Rudimental

Os Rudimental aqueceram a noite fria que se vivia na Ericeira. Um concerto repleto de energia e pura exaltação, contou com todos os êxitos de que o público estava à espera. O quarteto britânico trouxe convidados, que cantaram e ajudaram à festa.  "Waiting All Night", "Feel The Love" e "Bloodstream" fizeram parte do espetáculo que teve duração de mais de uma hora. O público cantou em uníssono alguns dos temas mais conhecidos e dançou sem parar durante todo o concerto. A felicidade estampada na cara do público e da banda deixou claro que o serão foi bem mais que satisfatório. Podemos afirmar mesmo, que foi o melhor nome da noite. O quarteto cumpriu o seu dever enquanto grande nome da noite e no fim deixou todos a pedir por mais. Ficam as saudades.



0 comments:

Enviar um comentário