Entrevista aos Toulouse | Watch and Listen!

Entrevista aos Toulouse


No Indie Music Fest estivemos à conversa com algumas bandas, entre elas os Toulouse. A jovem banda falou connosco antes do concerto, e falou das origens da banda e da experiência no Paredes de Coura. Estivemos à conversa, também, sobre o álbum que planeiam lançar já em 2016, e muito mais. Fica abaixo, a entrevista na íntegra.

Watch&Listen: Como é que surgiu a banda e o porquê do nome? 
Toulouse: Surgiu com o interesse de fazer a música que gostamos, na nossa cidade. E eu dirigi-me a um professor de baixo lá em Guimarães e perguntei-lhe se conhecia alguém... se tinha algum aluno que gostasse do género que determinei. E foi assim, apareceram eles. Uma coisa... Não tínhamos antecedentes. Não nos conhecíamos nem nada. E tivemos que começar a criar, algo completamente novo... desde há um ano. E pronto, a origem é essa. E em relação ao nome. Tínhamos que ter um nome. Gostámos de nomes de cidades, e esteticamente o nome é bonito. E é isso. Não temos mais ligação nenhuma à cidade. É bonito o nome, é isso.

W&L: Podem falar-nos um pouco dos vários concertos que tiveram em festivais, ao longo deste ano?
Toulouse: Fomos a Paredes de Coura, que foi muito bom. Gostámos muito. É um festival que nós sempre gostámos. Costumamos de ir sempre. E foi muito bom tocar lá duas vezes. Tivemos na vila e depois nas sessões. Fomos também ao Milhões.E agora ao Indie. E assim festivais de grande escala, são esses. Mas temos tocado também em coisas mais pequenas. Também fomos este ano... Não, foi o ano passado. Mas, é o primeiro ano da banda. Então fomos também à final do passatempo do Mexefest com a Vodafone FM. E o nosso primeiro concerto foi num festival em Guimarães, que é o Mucho Flow, que é organizado pela nossa editora, a Revolve. E assim grandes nomes de festivais, foram esses. Mas em cafés e assim também correram bem. Já tocámos duas vezes no Maus Hábitos e também correu bem. Ainda temos poucos concertos como banda. Como festivais só tivemos este ano, porque também é o nosso primeiro verão. Mas tem sido interessante. Tem sido um bom ponto de partida.

W&L: Como é que se sentem por estarem no álbum dos Novos Talentos da Fnac? 
Toulouse: Foi um bocado... Foi uma surpresa, porque nós não tínhamos as músicas gravadas para isso. Então tivemos que ir gravar com pouco tempo de antecedência, para conseguirmos ter alguma música nova no CD. E acabou tudo por correr bem. Fomos gravar num sábado e temos a música lá. E as pessoas têm gostado e tem passado na Antena 3 e tudo. E sinto que estamos a chegar a mais gente com esse passo, também. Tá no CD e consequentemente está na Antena 3. E é isso.

W&L: Já têm planos para o possível lançamento de um álbum? 
Toulouse: Estamos agora numa fase de compor as coisas. Já temos algumas músicas. Temos agora essas músicas, as que fomos gravar na altura para ir para o CD também. Mas agora tamos a compôr o resto e mais três ou quarto, são suficientes para lançarmos um álbum no início de 2016. Entretanto até lá vão sair alguns singles. E com vídeo. Mas sim álbum, para o início de 2016.

W&L: Qual é a vossa opinião sobre o conceito do Indie Music Fest? 
Toulouse: Falo por nós. Temos uma opinião muito boa acerca do festival. Aposta em talento nacional. Quatro palcos todos com bandas nacionais, o que demonstra que a música portuguesa está numa boa fase. Projectos de vários estilos diferentes, muitos projectos interessantes. Gostamos do conceito. É a primeira vez que vimos mas gostamos do festival em si. E já acompanhávamos o cartaz. É um festival interessante, e que continue por muitos anos porque é um apoio muito grande à música portuguesa. Assim como a Antena 3 também é. Tem um palco cá. É um bom festival.



Texto: Alexzandra Souza
Fotografias: Iris Cabaça

0 comments:

Enviar um comentário