Entrevista a Os Capitães da Areia | Watch and Listen!

Entrevista a Os Capitães da Areia




No passado dia 4 de setembro, depois do concerto d'Os Capitães da Areia no Indie Music Fest, estivemos à conversa com a banda. Falou-se da origem da banda, da opinião acerca do festival, do recente álbum "A Viagem dos Capitães da Areia a Bordo do Apolo 70", entre muitas mais coisas. Fica a entrevista abaixo, na íntegra.

Watch&Listen: Como é que surgiu a banda? 
Tiago Brito: A banda surgiu em 2009. O Pedro estava aborrecido em casa de uma pessoa. E essa pessoa disse assim... Não, a outra pessoa que era amiga dessa pessoa, que se chama Manuel Fúria, disse assim: olha queres fazer uma banda que se chama Os Capitães da Areia? E ele disse: vou pensar nisso. Não foi? Pronto. E essa pessoa disse-lhe assim, "arranja 5 pessoas para fazer a banda, incluindo tu". Um deles tem que ser loiro. Então o Pedro foi... Durante uma semana teve a tentar arranjar essa banda. de 5 elementos. Arranjou um baterista, que é o António. Arranjou um baixista que conhecia, que era o Vasco. E arranjou um teclista loiro. Porque faltava um loiro. Faltava-lhe só um guitarrista. Ligou a um amigo meu. Recomendou!
António Moura: Depois disto, nós tínhamos um guitarrista para a banda mas que não quis ser, porque tinha um projecto muito mais sério em mãos. E depois essa pessoa, que era amigo do Tiago, sugeriu o Tiago e disse "ah ele toca bem e tal". Era o melhor que conhecia. E nós decidimos... então o melhor que conhecias, então vamos experimentar. E experimentámos e gostámos! E pronto. E depois ficámos Os Capitães da Areia. E ficou assim.

W&L: Falem-nos um pouco do vosso novo álbum, "A Viagem dos Capitães da Areia a Bordo do Apolo 70". 
António: O nosso novo álbum que é de... de quando é que é? 
Pedro De Tróia: É de fevereiro de 2015! 
António: Portanto... o nosso novo álbum... 
Pedro: É uma viagem a bordo do Apolo 70. Que é um centro comercial que se transformou numa nave. Andamos pelo espaço, temos aventuras várias. Com pessoas que estão no espaço. Pessoas como... 
António: Pessoas do panorama musical atual, tais como Miguel Ângelo, Samuel Úria e etc. 
Pedro: Toy. 
António: Bruno Aleixo. 
Tiago: Pessoas várias. Capitão Fausto, Helena D'Água. 
António: A miúda. Tiago Bettencourt, etc etc. As Adufeiras de Monsato são muito importantes! Tiago Pereira... o Vasco Ramalho também! E pronto. O nosso álbum é isto. 
Pedro: 31 faixas. É muito fácil de se ouvir... apesar de não parecer. E estamos muito contentes com ele. E queremos fazer um próximo disco que tem 32 faixas. 
António: E foi uma grande aventura! 



W&L: Já pensaram em fazer um concerto com todos os convidados do disco? 
Pedro: Epá, pensamos nisso desde o início. 
António: Estamos a pensar desde o início mas é uma coisa... de uma dimensão... 
Pedro: É uma operação logística lixada. Muito complicada. E quando surgir a oportunidade para o fazer, faremos. 
António: E bem feito...! 
Pedro: Pá, mas é muito complicado. Parece que é fácil de isso acontecer mas não é assim tão fácil. E nós fizemos muitas... 
Tiago: São muitos artistas, é muito complicado. 
Pedro: Nós vamos conseguir fazer isso! 
António: Nós vamos conseguir fazer. Mas é que tantos artistas... aqueles artistas que nós tivemos foi porque tivemos muito tempo para gravar este disco. Por isso conseguimos.
Pedro: Combinar uma data com não sei quantos convidados. É por aí. 
António: E cada um deles tem a sua carreira artística. 

W&L: Se pudessem fazer uma música com um artista morto ou vivo, com quem seria?
Pedro: O António Variações seria brutal! 
António: Ya! António Variações. 
Pedro: Imagina o António Variações participar neste disco.
António: Era muita fixe. 
Pedro: Nós íamos ficar bué felizes. Mas não dá. 

W&L: Qual é a vossa opinião acerca do conceito do Indie Music Fest? 
Pedro: Nós temos várias opiniões. 
Tiago: Uma delas é que gostámos muito daquelas janelas que estão ali, naquela árvore. 
António: Muito fixe. Não sei quem é que fez aquilo, mas está de parabéns! 
Pedro: E as borboletas... 
António: Ya, as borboletas! As borboletas foi tipo... wow janelas... ya borboletas! 
Pedro: As janelas estão muito fixes, a exposição é fixe,.. 
António: Eu fiquei um bocado impressionado, mas isso é porque sou um bocado menino... em algumas partes da exposição. 
Tiago: Acho que para a dimensão que tem está ótimo. 
António: Algumas partes. Alguns pacotes. 
Tiago: Há aqui uma coisa muito boa que é, só bandas portuguesas que é uma coisa que não acontece muitas vezes. Devia acontecer mais vezes. Porque nós temos temos de apoiar... 
Tiago, Pedro, António: A música portuguesa!!! 
António: Viva a música portuguesa! 
Pedro: E cautela com o parque de estacionamento. E com o pó. Também já tenho dito. 
António: E os alces. São só três pontos: parque de estacionamento, pó e alces. 
Pedro: E cautela com a exposição. 
António: E a exposição... não vá crianças. Não vá crianças para a exposição. 
Pedro: Mas... mas... De 0 a 10. 8!  




Texto: Alexzandra Souza
Fotografias: Iris Cabaça 

0 comments:

Enviar um comentário