Cobalt Cranes e Raptor Attacks (Old Yellow Jack) no Sabotage | Watch and Listen!

Cobalt Cranes e Raptor Attacks (Old Yellow Jack) no Sabotage


No passado dia 27 de Janeiro, foi a vez de ir até ao Sabotage para mais uma boa e agradável noite de música, que contou com os Cobalt Cranes e os Raptor Attacks (Old Yellow Jack). Os Cobalt Cranes são uma banda proveniente de Los Angeles, já fundados desde 2012, e essencialmente de indie rock. Eram o destaque desta noite, já que era a primeira vez que pisavam territórios lusos, sendo que só tinham atuado pela primeira vez em Portugal na noite anterior no Stairway Club.

Mas primeiro, e antes dos Cobalt Cranes, veio a banda de abertura Raptor Attacks. Não tendo encontrado muita informação previamente, admito que fiquei bastante surpreendida e contente quando me apercebi que os jovens desconhecidos, afinal não eram nada desconhecidos. Eram os fantásticos Old Yellow Jack, com um nome falso em tom de brincadeira. Os Old Yellow Jack já são uma banda bastante familiar e, que se vocês ainda não conhecem, apressem-se a ir ouvir. O concerto prova que estão cada vez mais maduros musicalmente e melhores. Os jovens enérgicos deram um curto, mas bom concerto. Como sempre, mostraram-se frenéticos até ao fim e sorrisos na sala não faltaram. Embora não estivesse muita gente creio que cativaram os presentes. Tocaram algumas músicas do EP "Magnus", lançado no ano passado. Ouviram-se também algumas canções novas que deixaram-me, como habitual, ainda mais curiosa e ansiosa para ouvir o primeiro álbum, que tem lançamento previsto para este ano. Os jovens são extraordinários e se ainda não conhecem, volto a sublinhar: pesquisem, oiçam e vejam. Dificilmente se irão arrepender, prometo. Para os curiosos, os Old Yellow Jack voltam a dar um concerto já no próximo dia 12 de Fevereiro no Musicbox. É de ir!



De seguida, vieram os Cobalt Cranes e o Sabotage por esta hora já se encontrava mais cheio, como era de esperar. Os Cobalt Cranes deram um concerto bastante agradável. Kate Betuel, Tim Foley e respectivos companheiros meteram todos a abanar cabeças e ninguém tirava os olhos do palco por nada, talvez pela curiosidade de observar a óbvia intimidade existente entre Kate e Tim. Suficientemente cativantes, mostraram que são bem melhores ao vivo do que em estúdio e nesse sentido surpreenderam-me e ganharam ainda mais a minha simpatia. Deram perto de uma hora de concerto, em que o público mostrou-se bastante receptivo à banda e que deu a entender que foi totalmente invadido pelo indie rock dos Cobalt Cranes. Podia ter sido melhor se tivesse sido maior já que, para banda de destaque, considerei curto. No entanto, foi o suficiente para ser classificado com um bom mais, da minha parte. Houve uma tentativa de mosh por parte de alguns fãs, que mostrou, realmente, que o público estava deleitado com o concerto. A banda afirmou por várias vezes que estava contente por estar em Portugal, e que estavam a gostar muito da estadia por terras lusas. Houve ainda tempo, para serem cantados os parabéns ao guitarrista dos Cobalt Cranes. Para seu grande azar, momentos antes, o guitarrista dos Cobalt Cranes tinha partido uma corda do seu instrumento, mas felizmente, foi salvo pela simpatia do vocalista dos Old Yellow Jack que não se recusou a emprestar o seu instrumento. Houve tempo para um curto encore, de uma só música. O público pareceu satisfeito e contente, mas fica a constante sensação de que soube a pouco. Ficarei à espera de uma próxima.



Texto: Alexzandra Souza
Fotografias: Rui Gameiro

0 comments:

Enviar um comentário