Marching Church na Galeria Zé dos Bois: reportagem | Watch and Listen!

Marching Church na Galeria Zé dos Bois: reportagem


Os Marching Church deram um concerto na Galeria Zé dos Bois no dia 28 de fevereiro que contou com os Maranha Boys Band na primeira parte. O projeto paralelo de Elias Bender Rønnenfelt (Iceage,Vår) cuja banda tem alguns músicos da Dinamarca que vêm doutros projetos também, como Lower e Puce Mary, veio apresentar o álbum de estreia "This World Is Not Enough".

A primeira parte ficou a cargo dos Maranha Boys Band formados por David Maranha, Pedro Sousa e
Gabriel Ferrandini. A banda deu um concerto de cerca 30 minutos, e conseguiu meter o público a ouvir um jazz eletrizante antes de vir a banda que todos esperavam. Pedro Sousa, o saxofonista, a seguir tocou com os Marching Church e eles levaram-no para o resto da tour com eles.


Depois de um concerto imparável dos Maranha Boys Band, seguiu-se a banda por que todos ansiavam: os Marching Church. No início do concerto, percebeu-se logo que ia ser um concerto inesquecível. Elias Rønnenfelt, o vocalista carismático, nunca ficou quieto no palco. Movimentava-se sempre de um lado para o outro e muitas vezes ficava bem perto do público, criando uma ligação próxima com quem estava mais à frente. Rønnenfelt não foi a única estrela em palco, pois, o resto da banda, mais a nova adição (o Pedro Sousa), também ajudaram a tornar o concerto ainda melhor.

As músicas orquestradas e intensas dos Marching Church não podiam ficar mais bem conseguidas do que no ambiente intimista da Galeria Zé dos Bois. Pois, a mistura de post-punk com soul nas suas músicas ficou perfeitamente adequada ali. Tornando o concerto ainda mais inesquecível. O público gostou e ainda queria mais, muito mais.

O concerto dos Marching Church foi o melhor serão de domingo que aconteceu na Galeria Zé dos Bois. Esperemos que voltem cá depressa, ou que, pelo menos, o Elias Rønnenfelt volte com outra das suas bandas.


Texto: Iris Cabaça
Fotos: Vera Marmelo

0 comments:

Enviar um comentário