Capitão Fausto: o Coliseu dos Recreios chamou pelos capitães | Watch and Listen!

Capitão Fausto: o Coliseu dos Recreios chamou pelos capitães


Os Capitão Fausto são uma daquelas bandas que podemos dizer acompanhamos basicamente desde o início da carreira, e que fomos vendo ao longo dos anos a sua evolução. Era 2011, e o primeiro álbum de originais, "Gazela", tinha acabado de sair e falava-se de uma nova banda sensação do panorama musical português. De repente chegamos ao final do ano, e já eram a grande revelação nacional do ano. E que bem merecido que foi. Mal sabiam eles que futuramente viriam a influenciar muitas das bandas indie que surgiram posteriormente. Seguiu-se "Pesar o Sol" em 2014 e a legião de fãs já se mostrava sólida, fiel e crescente. Chega este ano, "Os Capitão Fausto Têm os Dias Contados", que entra automaticamente para todas as listas de melhores álbuns nacionais do ano e com uma base de fãs que se vinha a dizer que conseguia esgotar até um Coliseu dos Recreios. A banda já tinha atuado em locais de renome tais como o Musicbox Lisboa, os festivais Nos Alive, Paredes de Coura e o Super Bock Super Rock, entre muitos outros. E sempre com uma plateia sobrelotada para ver o explosivo quinteto de betinhos lisboetas.

Eis que chega o dia 22 de Dezembro de 2016 e nós, fãs aos anos, deparamos com um Coliseu dos Recreios totalmente esgotado para ver a banda que em 2011 foi eleita a banda revelação do ano por muitos e que desde então só tem crescido. Sem parar. O céu é o limite, e os Capitão Fausto cada vez mais percebem o significado desta frase. A oportunidade de atuar neste espaço foi dada pela Música no Coração (a banda já merecia atuar numa sala tão grandiosa quanto esta!) e os Capitão Fausto fizeram nada mais nada menos, que superar as expectativas de todos. Passava das 22h quando a banda subiu ao palco, que se encontrava no meio do Coliseu, com a sua pequena orquestra constituída por vários músicos, como Luís Montenegro (Salto), Diogo Rodrigues e Pedro Wallenstein (o pai do Tomás), no que nós conhecemos como palco principal deste espaço. Durante uma hora e meia, com um dos melhores reportórios nacionais que conhecemos, a banda fez uma viagem de 2011 a 2016. Ouviu-se até "Teresa", o clássico muito pedido pelos fãs mas nunca tocado pela banda. Foi arrepiante o ambiente vivido. Não era necessário procurar-se muito para encontrar alguém totalmente exaltado e fora de si, a sentir a música e a cantar todas as letras com alma e coração. Podíamos ver não só jovens a cantar as letras na ponta da língua, como também pessoas mais velhas. Todas as faixas etárias estavam ali presentes para ver um dos melhores concertos de bandas nacionais que vimos este ano. É este o alcance que os Capitão Fausto, em quatro anos, conquistaram e que tende a crescer e que de certeza ficará na história da música portuguesa. Não há muitas palavras que possam descrever o que aconteceu ali, simplesmente podemos afirmar com toda as certezas possíveis que os Capitão Fausto são um fenómeno e tudo isso consagrou-se nesta solene noite. O concerto acabou com um Coliseu dos Recreios iluminado pelas lanternas de todos os presentes ao som de "Alvalade Chama por Mim". E o pódio de ouro chama pelos Capitão Fausto. Daqui a uns largos anos (talvez já nem estaremos cá para dizer se de facto temos ou não razão) quando se falar em grandes bandas que marcaram a nossa cultura musical, acreditamos que os cinco miúdos que lançaram "Gazela" serão mencionados. Parabéns à banda pelo concerto e por todos os feitos que alcançou este ano. Um grande ano para os Capitão Fausto. O ano da grande consagração.

Capitão Fausto @ Coliseu dos Recreios


Texto: Alexzandra Souza
Fotografias: Iris Cabaça

0 comments:

Enviar um comentário