Álbuns da semana | Watch and Listen!

Álbuns da semana


Os álbuns desta semana são os dois muito diferentes, mas vêm de Inglaterra. O primeiro é o do Ed Sheeran que depois de uma longa pausa lançou o seu novo trabalho. O segundo é o dos Sleaford Mods que não tinham um novo disco desde 2015. O de Sheeran é do género Pop, sem vergonhas, e o dos Sleaford Mods é a combinação de hip-hop e punk que eles sabem fazer. Apesar das diferenças são LPs necessários para a situação atual do mundo.


O Ed Sheeran lançou o seu terceiro álbum de estúdio, "÷ (Divide)", no dia 3 de março. Desde 2014 que Sheeran não lançava um disco novo, pois, o cantor fez uma pausa, e foi este o ano em que finalmente chegou. Milhares de concertos e atuações na rua depois, o britânico chega a este ponto na sua carreira.

No primeiro álbum, "+ (Plus)", o cantor britânico conquistou fãs à volta do mundo com a sua perícia para escrever letras que se percebem na primeira audição. Em "+", Sheeran percorreu o caminho da folk sombria nas músicas "The A Team", "Lego House" e "Give Me Love e até do rap e do beatbox no tema "You Need Me, I Don't Need You". Um primeiro LP que lhe valeu grande sucesso e marcou o início de uma estrela no mundo da música. Com o segundo disco, "X (Multiply)", o artista continuou pelo lado da folk obscura e criou alguns hits pop como "Sing", "Don't" e "Thinking Out Loud" e o seu êxito continuou a crescer.

Em "÷ (Divide)", Ed Sheeran afirma-se como o criador de hits Pop que tem vindo a realizar nos dois primeiros discos. A prova disso está nos dois singles que lançou no mesmo dia, "Castle On The Hill" e "Shape of You", que depressa começaram a tocar nas rádios, televisões e provocaram recordes no streaming. O novo LP mostra a maturidade de Sheeran adquirida ao longo dos últimos anos. Na primeira música, "Eraser", o britânico fala abertamente da fama, como lidou com ela e a sua noção sobre a indústria da música. Algo que não é habitual acontecer quando se escreve uma letra de um tema, mas Ed Sheeran decidiu arriscar aqui. Na "What Do I Know?" ele diz que não é muito político nem educado, mas com um piano, um baixo, uma guitarra, uma batida e amor se pode mudar o mundo, e parece ser o que o artista tenta fazer sempre nos seus trabalhos. Além de cantar em inglês, como é óbvio, Sheeran também se aventurou a cantar em espanhol no tema "Barcelona" (Las Ramblas, I'll meet you/ We'll dance around La Sagrada Familia (Barcelona)/ Drinking Sangría/ Mi niña, te amo mi cariño). E num dialeto do Gana, o Twi, na canção escrita por ele e por Fuse ODG no Gana também, "Bibia Be Ye Ye", que significa "Vai Tudo Ficar Bem". "Nancy Mulligan" fala sobre o amor dos avós do cantor e é, igualmente, um tributo à avó de Sheeran que é da Irlanda. Esta música tem inspirações da música popular irlandesa. A última música, "Save Myself", é fácil para muitas pessoas se identificarem porque fala dos momentos mais baixos da vida. Serve como um lembrete para quem ouve o tema se cuidar de si próprio/a.

"÷ (Divide)" é um álbum que leva os ouvintes a realizarem uma viagem espiritual com as letras honestas, as músicas mais felizes, as músicas mais tristes e as inspirações em algumas culturas. Ed Sheeran mostra, mais uma vez, o compositor e criador de hits que é e continuará a ser por muito mais tempo.



Os Sleaford Mods também lançaram um novo disco esta semana. Este recente trabalho da dupla de Jason Williamson e Andrew Fearn, "English Tapas" deverá ser apresentado no NOS Primavera Sound, e saiu dois anos depois do penúltimo, "Key Markets".

A fórmula do duo tem resultado bem desde que assinaram com a editora Harbinger Sound e criaram o LP "Austerity Dogs". A partir daí que a combinação das suas forças tem sido semelhante: Williamson escreve as letras e Fearn cria as batidas por detrás das músicas. Os dois juntos conseguem fazer música rap com espírito punk, que é exatamente o que os caracteriza.

Em "English Tapas", os Sleaford Mods fazem o que já é costume nos seus álbuns. Há as batidas lo-fi simples de Fearn e as palavras agressivas de Williamson. Assim, as melodias dos temas nunca se sobrepõem ao sotaque inglês carregado de Williamson que tem muito para dizer, principalmente, se for para falar sobre a cultura, a vida e as pessoas do Reino Unido. "English Tapas" é uma revolução punk que os Sleaford Mods estão mais que prontos para iniciarem. 


Texto: Iris Cabaça

0 comments:

Enviar um comentário