5 factos sobre "13 Reasons Why" | Watch and Listen!

5 factos sobre "13 Reasons Why"

A série "13 Reasons Why", criada por Brian Yorkey e Diana Son, é a mais recente adição do Netflix, e saiu no dia 31 de março. É baseada no livro de Jay Asher que foi publicado em 2007. A atriz e cantora Selena Gomez é uma das produtoras executivas da mini-série. 

A história gira à volta de Hannah Baker, uma adolescente que suicidou devido a várias situações que lhe aconteceram no secundário. Antes de se suicidar, ela gravou treze cassetes, com o mesmo número de razões, que explicam porque é que chegou ao suicídio. Logo na primeira cassete, a jovem pede para as pessoas passarem as cassetes umas às outras para que todas saibam o porquê. Durante os episódios, assiste-se a situações que aconteceram antes da sua morte e o papel de casa pessoa no enredo. 

"13 Reasons Why" tem causado sucesso e polémica pela forma como retrata vários assuntos sérios, os quais poucas séries e filmes o fazem. 

Fiquem com cinco factos, e não treze, sobre está serie:

1 - Fala sobre temas pesados de uma forma dura e real


"13 Reasons Why" toca várias pessoas por abordar assuntos reais, tais como, bullying, depressão, suícido e assalto sexual de uma maneira realista e crua. Por vezes, chega a ser demasiado, o que custa a ver, mas foi necessário retratar-se os temas assim para se alertar os espectadores sobre estes problemas que ocorrem nas vidas de muitas pessoas. E são situações problemáticas que precisam de serem expostas em mais séries e darem uma visão do que realmente acontece. Também é importante para se iniciar discussões acerca destes tópicos.  

2 - Cada episódio é sobre uma cassete/pessoa


O que foi uma boa ideia porque, assim, há mais tempo para cada pedaço da história se desenvolver ao seu ritmo, e entender-se melhor as razões de Hannah e quem contribui. Ela dedicou cada cassete a uma pessoa onde explica o mal que essa pessoa lhe fez, ou seja, se há treze cassetes, então esse é o número de pessoas que ela vai deixar a sua última mensagem. Apesar do plot ser focado na protagonista, o facto de cada episódio ser acerca de uma personagem, há espaço e tempo para se odiar ou adorá-las. Há um canal no Youtube que contém as cassetes de Hannah, baseadas no livro.

3 - A estreia de Katherine Langford com uma personagem principal


Antes de fazer o papel de Hannah Baker, a atriz australiana apenas tinha entrado em duas curtas no ano passado, "Daughter" e "Imperfect Quadrant". Langford aceitou fazer uma personagem com bastante carga emocional, o que lhe deve ter custado durante os cerca de seis meses de gravação da série. Uma escolha que lhe trará papéis ainda maiores na sua carreira, visto que, irá fazer de Leah Burke no filme "Simon vs. The Homo Sapiens Agenda".  

4 - Havia cães de terapia no set de gravações


Devido à dificuldade emocional e real dos temas, os atores necessitavam de uma ajuda externa para se animarem, por isso, trouxeram cães de terapia no set de gravações. Onde havia um "cachorrinho a cada hora", de acordo com Dylan Minnette, que interpreta Clay Jensen.  

5 - O final ambíguo deixa espaço aberto para imaginação

 
A série termina, como se sabe desde o princípio, com suicídio de Hannah Baker. Porém, deixa um espaço aberto para as outras personagens com histórias que no final não são mais desenvolvidas. Isto pode ser bom porque levas os espectadores a imaginarem o que irá ocorrer, e também pode levar a uma segunda temporada.

Texto: Iris Cabaça

0 comments:

Enviar um comentário