Músicas para se ouvir no 25 de abril | Watch and Listen!

Músicas para se ouvir no 25 de abril


Hoje celebra-se um dos feriados mais importantes para a história de Portugal: o 25 de abril, que ocorreu em 1974. Já se passaram 43 anos desde aí, porém, é um dia que não deve ser esquecido. Aconteceram várias situações antes, durante e depois do 25 de abril. A parte que será mencionada é a contribuição da música para este pedaço de história.

A música teve um papel muito relevante na Revolução dos Cravos. Todos conhecemos a "Grândola, Vila Morena", escrita e cantada por Zeca Afonso, que à 00h20min desse dia foi transmitida pela rádio Renascença para dar o sinal de confirmação do início da revolução. Antes de passarem esse tema, ouviu-se "E Depois do Adeus" de Paulo de Carvalho, que foi ao Festival Eurovisão da Canção nesse ano, às 22h55min do dia 24 de abril. "E Depois do Adeus" foi a primeira senha da revolução e "Grândola, Vila Morena" foi, consequentemente, a segunda. Estas duas canções foram as mais fundamentais para este dia, mas não foram as únicas revolucionárias. Por isso, fiquem com mais temas de intervenção.

"A cantiga é uma arma" - GAC

O Grupo de Acção Cultural - Vozes na Luta (GAC) foi formado em maio, após a revolução, por José Mário Branco, Fausto, Afonso Dias e Tino Flores, inicialmente. O grupo criou músicas de intervenção e acabou em 1978.


"Maré Alta" - Sérgio Godinho

A letra, escrita por Sérgio Godinho em 1971 para o seu primeiro disco, é curta e como o próprio diz "às vezes o menos é mais", o que é real aqui. Em poucas palavras, Godinho deu esperanças de que iria haver uma libertação do fascismo.


"A Tourada" - Fernando Tordo

Em 1973, Fernando Tordo concorreu ao Festival Eurovisão da Canção com o tema "A Tourada", escrito por Ary dos Santos. A letra na altura foi escrita como uma metáfora ao regime fascista. Assim, conseguiu passar pela PIDE sem nenhuma censura porque, provavelmente, não entenderam o sentido real da mesma.


"Já Chegou a Liberdade" - Tonicha

No seu primeiro disco, Tonicha lança dois temas sobre a revolução. No lado A, "Obrigado Soldadinho" e no lado B "Já Chegou a Liberdade" com as letras de Ary dos Santos e o arranjo de Pedro Osório

"Rapsódia político-portuguesa" - Júlio Pereira

Lançada cerca de dois anos depois, em 1976, a "Rapsódia político-portuguesa" criada por Júlio Pereira fala sobre de como o país mudou a seguir ao 25 de abril.


"Os Vampiros" - Zeca Afonso

O Zeca Afonso foi um dos músicos de intervenção mais importantes para a época. A música "Os Vampiros" faz parte do EP "Baladas de Coimbra", que foi lançado em 1963, contribui para a criação de musica de protesto muitos anos anos antes da revolta contra o período fascista. Em 2014, ganhou uma nova versão interpretada por Gisela João, Nicolas Jaar e Dave Harrington no Lux Frágil.



"Somos Livres" - Ermelinda Duarte

Escrita por Ermelinda Duarte e com arranjos de José Cid, "Somos Livres" tornou-se numa das músicas mais conhecidas depois do derrube da ditadura, também em 1974.


0 comments:

Enviar um comentário