Apostas para 2019 | Watch and Listen!

Apostas para 2019


Com o novo ano, vem música nova. A cada ano, procura-se aqueles artistas e bandas emergentes que, possivelmente, irão rebentar ao longo destes 12 meses e que acabam por se tornar em grandes revelações. De vários géneros musicais, há músicos que chegam as todas as pessoas. Estes são os doze escolhidos que irão cumprir essa promessa.

bad bunny

  
O porto-riquenho bad bunny começou por colocar músicas na internet enquanto trabalhava num supermercado. Foi o primeiro artista da editora Hear This Music. Entretanto, já colaborou com Enrique Iglesias, Becky G, Drake, Diplo, Future e conquistou um 1º lugar devido à música I Like It com Cardi B e J Balvin. O artista consegue misturar reggaeton com trap, algo que o distingue. O disco de estreia X 100PRE foi editado em 2018, e 2019 será certamente dele.

boy pablo


O norueguês Nicolás Pablo Rivera Muñoz formou o projeto boy pablo em 2015. Flowers, o primeiro single, foi lançado em 2016. A seguir, veio o tema Beach House e depois o EP Roy Pablo. A sua revelação chegou em 2017 com a música e vídeo de Everytime. No ano passado, editou o segundo EP Soy Pablo. Em agosto, vai-se poder ouvir o seu indie-rock no Vodafone Paredes de Coura.


Chynna


Chynna Rogers assinou com a Ford Models quando tinha apenas 14 anos. Enquanto estava no secundário, conheceu o falecido A$AP Yams, e ficou associada à A$AP MOB. A norte-americana começou por lançar os singles Selfie (2013) e Glen Coco (2014). Seguiu-se o EP Ninety em 2016, music 2 die 2 em 2017 e, no ano passado, I'm Not Here. This Isn't Happening. Nos seus versos, expõe problemas de adição e morte, como se pode ouvir em iddd

Flohio


Funmi Ohiosumah é Flohio, a próxima sensação do grime e do rap. As suas músicas saíram oficialmente para o mundo em 2018, e em pouco tempo captou a atenção de várias pessoas. No EP Wild Yout, Flohio mostra um flow impressionante com beats eletrónicos acelerados. Provando que vai ser uma das revelações deste ano. Como tal, vai ser possível vê-la em Portugal quando passar pelo Paredes de Coura em agosto.   



Grace Carter


Inspirada por artistas como Lauryn Hill e Nina Simone, a cantora britânica Grace Carter encanta com a sua voz soul e letras fortes. No seu primeiro EP Why Her Not Me, que foi editado no ano passado, consegue mostrar que é uma grande promessa musical em apenas 7 músicas. Aprendeu a tocar piano a ver vídeos no Youtube, e aos 14 anos já atuava em público. Na sexta-feira anterior, lançou o novo tema Heal Me.



Gus Dapperton


Gus Dapperton é a próxima promessa de indie-pop. Desde cedo que queria ser músico e fez por isso. Moodna, Once With Grace foi o seu primeiro tema que se ouviu na internet. Seguiram-se os EPs Yellow and Such (2017) e You Think You're A Comic! (2018). Os seus vídeos têm influências cinematográficas, o que se repara logo na estética. A estreia em Portugal está marcada para dia 19 de fevereiro, no Capitólio, em Lisboa.



half•alive 


Josh Taylor (vocalista), Brett Kramer (baterista) e J Tyler Johnson (baixista) são os membros dos half•alive. A banda foi formada em 2016 e, no ano seguinte, editou o EP 3 com exatamente 3 músicas. Em 2018, o single still feel foi lançado e no dia 18 de janeiro foi a vez de arrow. As músicas do trio transpiram a electro-pop com o calor da Califórnia.


King Princess


Mikaela Straus é King Princess aka a próxima princesa da dream pop. Vinda de Brooklyn, é uma cantora, compositora, produtora e multi instrumentista que faz hinos de amor queer. Assinou com a editora de Mark Ronson, a Zelig Records, e lançou o primeiro single 1950 em fevereiro do ano passado, tendo sido a primeira artista lançada pela Zelig. Alguns meses depois, chegou o EP de estreia Make My Bed. Entretanto, fez colaborações com Perfume Genius (Run Me Through) e Fiona Apple (I Know). O seu tema Pussy is God é, até ao momento, o que lhe trouxe mais sucesso.



Lolo Zouaï


A Lolo Zouaï é uma artista francesa que reside em Brooklyn. Esteve no Super Bock em Stock de 2018, e aí soube-se que era um nome a fixar. O seu single High Highs To Low Lows foi, até agora, o que teve mais sucesso comercial. Depois, vieram mais músicas como Blue, Brooklyn Love e Challenge. Este mês, lançou duas canções novas: Lose Myself e Jade com Blood Orange. Além disso, foi nomeada para um Grammy pela sua composição no álbum de H.E.R..


Octavian


Oliver Godji é Octavian, um rapper nascido em França e criado em Londres. A sua primeira mixtape, 22, foi lançada em 2016 e, em 2017, foi a vez do EP de estreia Essie World ter saído. No ano passado, Octavian mostrou a sua nova mixtape SPACEMAN ao mundo. Contando com participações de A2, Krimbo, Suspect e Swift. Também colaborou com Mura Masa em Move Me. O artista consegue juntar influências de hip-hop, grime e house nas suas canções.



Sea Girls


Os Sea Girls são Henry Camamile, Rory Young, Andrew Dawson e Oli Khan. Uma banda de rock/pop britânica e independente. Sem editora, já lançaram três EPs: Call Me Out (2017), Heavenly War (2018) e Adored (2018). Quando se ouvem os seus temas, imagina-se o público nos concertos a ecoar os refrões pela sala e, aparentemente, é essa a sensação que o grupo quer transmitir.


Slowthai


O britânico Tyron Frampton, de Northampton, é Slowthai, um promissor MC a tentar revolucionar o grime. O seu primeiro single Jiggle chegou em 2016. No ano seguinte, veio o EP I Wish I Knew. Após, lançou mais algumas músicas e o segundo EP RUNT (2018). O MC e Mura Masa juntaram-se em Doorman.

0 comments:

Enviar um comentário