Super Bock Super Rock 2019: As 5 razões que vão tornar o regresso ao Meco inesquecível | Watch and Listen!

Super Bock Super Rock 2019: As 5 razões que vão tornar o regresso ao Meco inesquecível


O Super Bock Super Rock está de volta para a sua 25ª edição. O festival realiza-se nos dias 18, 19 e 20 de julho e regressa à Herdade do Cabeço da Flauta, no Meco, em Sesimbra. Conta com nomes como Lana Del Rey, Conan Osiris, Janelle Monáe, Migos e Kaytranada.

O festival sempre foi um camaleão, pois começou na Gare Marítima de Alcântara em 1995, passou pelo Passeio Marítimo de Algés em 1997, em 1998 foi a vez da Expo e em 2008 e 2009 realizou-se no Porto e em Lisboa. Foi em 2010 que aterrou no Meco e ficou lá até 2014. Em 2015, voltou à Expo e ocupou a Altice Arena e área evolvente da mesma. Não arredou pé até 2018 e este ano marca o seu regresso ao Meco, após vários pedidos de muitos festivaleiros. Portanto, aqui ficam cinco razões porque esta edição vai ser memorável.

1 - O cartaz


A primeira razão é claramente o cartaz deste ano que é o mais eclético dos festivais nacionais. Nos nomes internacionais tem Lana Del Rey, que se estreou em Portugal no mesmo local em 2012, e irá lançar um novo álbum em breve. Os Metronomy virão apresentar temas novos. Migos, o trio de trap, estreia-se no nosso país. The 1975 e Janelle Monáe trazem na bagagem os seus mais recentes álbuns editados no ano passado. Quanto aos nomes nacionais, Conan Osiris, a grande revelação de 2018, irá marcar presença. Dino D'Santiago, Branko, Profjam, Fugly e Glockenwise são outros nomes que irão representar (e bem) a música nacional. Um alinhamento com gostos para todos.

2 - É perto da praia

Uma das grandes vantagens de voltar ao Meco é ter algumas das melhores praias da Margem Sul perto. Há a Praia da Lagoa de Albufeira e a Praia do Meco. Ambas ficam a cerca 10min de distância do recinto de carro. No caso da Praia do Meco, haverá shuttles para o público desde o festival até à praia.

3 - É fora da cidade

Além de ter praias perto, também é fora da cidade e deixa o seu ambiente urbano para trás. Vai ser no meio da natureza e com tudo a que um festival não urbano tem direito. Sol, calor e boa música num ambiente mítico é o que se pode esperar.

4 - Recinto aberto

Para quem criticava o local da Altice Arena por ter dois palcos numa arena fechada, agora nenhum palco será assim. O recinto também terá melhores condições e as casas-de-banho do Glastonbury, de acordo com Luís Montez. Todos os palcos terão uma vista bonita da Herdade do Cabeço da Flauta.

5- O Campismo

Com este regresso ao Meco, o festival volta a ter campismo mesmo perto. Algo que faz parte da vida de alguns festivaleiros. Pode-se levar tenda e acampar durante 4 dias, pois este ano também haverá receção ao campista com a curadoria da Discotexas, exclusiva a portadores do passe geral. É o ideal para se celebrar a 25ª edição e aproveitar-se tudo o que o festival tem para oferecer.


Algumas imagens do recinto:


Mais informações sobre o festival aqui.

0 comments:

Enviar um comentário