O nosso roteiro do Vodafone Mexefest 2016: a subir e a descer a Avenida | Watch and Listen!

O nosso roteiro do Vodafone Mexefest 2016: a subir e a descer a Avenida


O Vodafone Mexefest está aí à porta nos dias 25 e 26 de novembro, pronto para meter as nossas pernas a andarem de um lado para o outro na Avenida da Liberdade, em Lisboa . O cartaz deste ano volta a trazer vários artistas e bandas emergentes de muitos países diferentes, e também os portugueses. Neste leque de talentos, há muitas revelações do ano incluídas no cartaz o que mostra o bom olho da organização para novos artistas e bandas.

Depois de vermos bem o cartaz do festival deste ano, fizemos as nossas escolhas em relação aos concertos a que queremos assistir, e apresentamos as nossas sugestões ao mesmo tempo. Aqui fica a nossa decisão final.
 

NAO

A britânica NAO vem pela primeira vez a Portugal e terá a honra de atuar e encantar no Coliseu. O álbum de estreia, "For All We Know", é um dos melhores álbuns do ano, e antes do lançamento a cantora já tinha colaborado com Mura Masa em "Firefly" e com os Disclosure em "Superego". Também fez parte do coro de Kwabs tendo cantado em vários concertos ao lado dele. Com o seu primeiro álbum, NAO provou ser uma das revelações musicais deste ano e a prova merecedora deste título estará no concerto.

Gallant

A voz do norte-americano Gallant dispensa apresentações, mas para quem não conhece o seu falsete é um dos mais poderosos que se ouviu nos últimos tempos e está carregado de emoção em cada palavra. "Weight in Gold" é um dos melhores singles que saiu este ano, e é o mais subestimado ao mesmo tempo. A sua voz e trabalho árduo valeu-lhe um concerto na Casa Branca, a convite do presidente Barack Obama. No Coachella deste ano teve a sorte e honra de atuar com Seal, uma das suas inspirações. Ou seja, o artista teve um ano repleto de coisas a acontecerem-lhe na carreira e isso tudo culminará num concerto imperdível e inesquecível no festival.

Dinamite

O espetáculo em homenagem aos 40 anos de carreira da Dina vai voltar a realizar-se com os convidados Ana Bacalhau, B Fachada, Best Youth, Da Chick, D'Alva, Márcia, Mitó e Tocha pestana pela que será, muito provavelmente, a última vez, por isso, merece toda a atenção possível. Apenas realizou-se duas vezes uma em Lisboa, no São Luiz, e outra no Porto, no Rivoli, por isso agora será a terceira e única oportunidade de se assistir a este concerto no Teatro Tivoli. A Dina foi a primeira cantautora da pop portuguesa, e foi três vezes ao festival da canção onde venceu com o tema icónico "Amor d'Água Fresca". Este concerto irá juntar a geração mais antiga da pop portuguesa com a geração mais jovem, o que vai ser algo muito especial.

Jagwar Ma

Os Jagwar Ma vão estar no Coliseu dos Recreios para dar um concerto obrigatório no roteiro de qualquer festivaleiro que se encontre no Vodafone Mexefest. A banda australiana não necessita de textos de motivação que nos levem a deslocar até ao local. O seu psicadelismo bastante dançável atrai ao primeiro segundo e julgamos que não será diferente aqui. A não perder.


Baio

Quando não há Vampire Weekend, há Baio. O baixista da banda lançou o seu próprio projeto em 2012 e "The Names", primeiro álbum a solo, saiu já o ano passado e passa agora por Portugal para se apresentar a solo. O indie rock de Baio não se assemelha ao da sua banda, tendo uma imagem muito própria com o acréscimo de sintetizadores que nos faz crer que o concerto dará muito que dançar. Será na estação ferroviária do Rossio, logo no primeiro dia!



Elza Soares

A brasileira Elza Soares já canta desde muito nova e após tantos anos, a sua música ainda continua inovadora. Mais inovadora do que muitos artistas mais novos que Elza. A sua dedicação e amor pela música valeram-lhe o prémio de "A cantora do Milénio" pela BBC de Londres. Este título e o álbum "A Mulher no Fim do Mundo" são duas razões que chegam para se ver o concerto da cantora no Coliseu, que será realmente único.


Whitney

Será a segunda passagem da banda por Portugal este ano, mas desta vez para um concerto intimista. Os Whitney são uma banda de indie-rock de Chicago com melodias que lembram um Bon Iver com o acréscimo de folk e country, que os torna tão únicos e queridos para o público em geral. A voz particular e única do vocalista mete inveja a qualquer um e teremos a oportunidade de a ouvir soar pelos recantos do Tivoli. Será majestoso e será no segundo dia. Mais um a não perder.


Branko

O português Branko vai ser um dos artistas a encerrar o festival e vai meter toda a gente a dançar no Coliseu no final da noite, de certeza.  A música global eletrónica de Branko será a melhor forma de finalizar a noite. E fica a dúvida se haverá alguma surpresa especial, visto que, Branko e Maya Andrade colaboraram no tema "Reserva Pra Dois", por isso, seria incrível se os dois atuassem esta música juntos no último dia. Ninguém vai ficar parado neste concerto.


Luís Severo

O Luís Severo irá atuar numa das salas mais bonitas do festival (sim, são todas mesmo bonitas, mas esta é num palácio o que é realmente diferente das outras), a Sala Delta Palácio Foz. O seu disco de estreia, "Cara d'Anjo", irá resultar muito bem neste ambiente intimista e histórico o que tornará o concerto extraordinário. Apanha um bocado dos concertos de Baio e NAO mas vale a pena passar por lá, nem que seja apenas por 15 minutos.




Sunflower Bean

Os Sunflower Bean marcam a sua estreia em Portugal no Vodafone Mexefest. A banda nova iorquina formada em 2013 vem a terras lusas apresentar o seu trabalho até então, com foco em "Human Ceremony", primeiro álbum de estúdio lançado em fevereiro deste ano. Os Sunflower Bean são uma daquelas bandas de 2000 que os acordes algo românticos e calorosos que nos remetem para os 80's e o quão vale a pena. Mais um a juntar à série dos que não se podem perder na estação ferroviária do Rossio!


Fugly

Os Fugly vão dar um concerto num formato que nunca os vimos: no Vodafone Bus e vai ser excelente a todos os níveis com todas as certezas. Podem vê-los em quatro horários diferentes: 20:30h, 22:00h, 23:10h, e à 00:10h. A banda de garage rock portuguesa vai animar o autocarro de uma ponta à outra e vai meter inveja a quem não estiver lá dentro a ver. Se possível, vão ver num dos horários ou em todos, se quiserem.


Dead Pretties 

Os Dead Pretties são uma banda relativamente nova de Londres que ainda nem têm nenhum videoclip oficial e nenhuma música no Spotify nem em outros serviços de streaming. Apenas têm vídeos de atuações ao vivo, e por aí parecem ser uma promessa que vale a pena seguir e ver o progresso. Vão atuar na Garagem Epal que é o local ideal para mostrarem o seu garage rock londrino.


Golden Slumbers

As irmãs Catarina e Margarida Falcão são um dos melhores projetos de folk que existe no nosso país. Foi possível acompanharmos o seu progresso desde o EP "I Found the Key" (2014) até ao lançamento do álbum de estreia este ano, "The New Messiah", o que foi bastante bom de se assistir. Agora vão atuar no festival e será numa sala linda, na Sociedade de Geografia de Lisboa, onde irão mostrar as suas vozes em perfeita harmonia.


Them Flying Monkeys

Os Them Flying Monkeys foram um dos vencedores do Vodafone Band Scouting deste ano. E não é de admirar, já que talento anda de mão dada com estes jovens. O álbum está aí à porta, e o single demonstra mais da qualidade e evolução positiva que a banda sofreu ao longo do tempo. Já tendo ganho outros concursos anteriores, como o EDP Live Bands, que lhes deu acesso ao NOS Alive e ao Bilbao BBK Live. A banda tem garra e acreditamos que não irá parar por aqui. Metam os olhos nestes rapazes, pois a tendência será continuar a subir. Estão de parabéns. A não perder, na estação ferroviária do Rossio!


Kevin Morby

Conhecido pelos seus Woods e The Babies, Kevin Morby começou a sua carreira a solo em 2013 e chegamos a 2016 já com o terceiro álbum de originais, "Singing Saw", que traz na bagagem até ao Vodafone Mexefest para apresentar ao público português. E porque a estação ferroviária é claramente uma das paragens obrigatórias desde Vodafone Mexefest, contendo alguns concertos imperdíveis, o indie folk de Kevin Morby estará lá à vossa espera no segundo dia. Passem por lá.


TaxiWars

Os TaxiWars são o resultado de uma rebelde e intensa colaboração de Tom Barman (vocalista de dEUS e do saxofonista Robin Verheyen. Provocando já fortes emoções quando se ouve em casa, provocará certamente um mar ainda maior de emoções ao vivo. Escusado será dizer que, apesar de coincidir com Mayra Andrade e Whitney, devem pelo dispensar 20 minutos neste concerto. Agradecerão com certeza. O encontro está marcado para o segundo dia, na Casa do Alentejo.



Para mais informações sobre o Vodafone Mexefest de 2016 sigam este link.

0 comments:

Enviar um comentário